Dentro é lugar longe

 

Por enquanto, só algumas palavras podem ser ditas, algumas frases soltas “Eu acredito que tudo tem memória, eu sinto isso” expressa Anderson Mauricio tocando o solo em um pequeno córrego… O exercício cênico do dramaturgo Rudinei Borges, a leveza do bailar solitário de Alessandra Della Santa… os sons são gotas caindo na água, a respiração e o canto dos pássaros…

Maria Alencar expressa seus desejos…Junior Docini trabalha sua expressão corporal, Priscila Reis brinca como se fosse criança, Tatiane Lustoza caminha pela grama e Anderson lança no lago um barquinho que segue…. ainda sem uma direção exata…mas no sentido arte cênica e popular.

É com esse sentimento carregado de sentidos que a Trupe Sinhá Zózima faz a primeira chamada para o espetáculo que eles estão gerado, moldado, direcionado e encenado, fruto da pesquisa cênica dentro do projeto “Plantar no ferro frio do ônibus o ninho - residência artística por um teatro do encontro sem fronteiras”.

O tema é uma viagem pelo universo humano e as histórias orais onde o sentimento e a vida estão em destaque.

No processo criativos os artistas pesquisadores estão realizando várias oficinas, conversando com passageiros, entrevistando  trabalhadores, buscando a fontes das  histórias e as suas expressões.

Confiram o vídeo e observem  a beleza deste trabalho em plena concepção….

Texto – Márcia Nicolau

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


4 + = 8

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>